De forma personalizada estruturamos operações imobiliárias para empresas que tem interesse em desmobilizar seu ativo, expandir suas atividades para novas localidades ou levantar capital através da emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários.

Conheça algumas das operações imobiliárias:

 

Desmobilização de ativos

Para empresários que tenham interesse em se desfazer de propriedades como indústrias, galpões, edifícios comerciais ou qualquer ativo que não faça mais parte de seu planejamento. Estruturamos transações de desmobilização de ativos, expansão de redes, sale leasebck, build to suit e CRI ( Certificado de Recebíveis Imobiliários).

Sale Leaseback

“Sale Leaseback” é um acordo comercial pelo qual a propriedade é, simultaneamente, vendida e alugada de volta ao proprietário, geralmente por um longo prazo, também chamada de venda e leaseback. As empresas, quase que na sua totalidade, vêm ao mercado competitivo realizando grandes investimentos em terrenos e instalações, necessários ao seu empreendimento, deixando para trás importantes ativos que poderiam ser melhor aproveitados especificamente na sua atividade fim, gerando uma maior lucratividade.

Ao efetivar uma venda com relocação de capital, pelo sistema “sale leaseback” através da ECO3, a empresa ou indústria poderá desbloquear o valor mobilizado no imóvel, aumentando o capital de giro, que pode ser utilizado para o crescimento institucional e econômico da principal atividade fim. O valor de mercado apropriado da sua propriedade irá definir e fornecer o capital para expandir suas operações administrativas, possibilitando o crescimento em alicerces bem estruturados, fornecidos pelo próprio patrimônio imobilizado da empresa. Em resumo, podemos examinar rapidamente uma empresa e suas explorações mercadológicas e definir a eficácia de uma operação “Sale Leaseback”.

Como funciona o “Sale leaseback”?

O investidor adquire a propriedade com o justo valor de mercado e aluga imediatamente para o próprio detentor da propriedade, por um período de 10, 15, 20 anos, possibilitando a continuidade da atividade empresarial desenvolvida. A empresa libera um capital destinado ao seu empreendedorismo e mantém o controle operacional total do imóvel, aumentando a demonstração financeira operacional.

Sale Leaseback – Menos impostos

Investindo o capital levantado através da operação Sale Leaseback, a empresa terá uma redução no montante pago de impostos, pois a locação será contabilizada como despesa operacional, reduzindo o LAIR ( LAIR é uma medida do lucro da empresa, baseada em sua capacidade de gerar receita com sua atividade e na forma como ela se relaciona com o mercado financeiro ) e consequentemente a base de cálculo do imposto. Reinvestindo em equipamentos, a empresa também aumenta sua taxa de depreciação de 4%a.a. para 10%a.a., isto na prática significa que a mesma estrutura de capital ela gera mais depreciação ( despesa sem desembolso ) pagando menos impostos no final do exercício.

Benefícios da operação:

  • • Controle Operacional da Propriedade
  • • Melhora no ROA (Return On Assets)
  • • Aumento de Liquidez da Empresa
  • • Redução do Grau de Endividamento da Empresa
  • • Redução nos Impostos Pagos

 

Segmentos Sale leaseback:

  • • atacado
  • • auto-indústria,
  • • bens de capital,
  • • bens de consumo,
  • • comunicações,
  • • eletroeletrônico,
  • • energia,
  • • farmacêutico,
  • • indústria da construção,
  • • indústria digital,
  • • mineração,
  • • papel,
  • • celulose,
  • • agropecuária,
  • • química,
  • • petroquímica,
  • • serviços,
  • • siderurgia
  • • metalurgia,
  • • telecomunicações,
  • • têxteis,
  • • transporte

 

Build to suit

Build to Suit é um termo de Real Estate usado para identificar contratos de locação industrial e comercial a longo prazo, no qual, o galpão, armazém ou prédio comercial é construído para atender aos interesses do locatário, já pré-determinado.

A ECO3 poderá viabilizar projetos industriais e comerciais, que atendam as rígidas normas estabelecidas pelos futuros usuários da construção, com prazos determinados para a execução.

Como principal objetivo neste tipo de contrato tem-se o conceito de evitar a imobilização do capital. O prazo do contrato é calculado de modo que o lucro obtido com o uso do imóvel cubra os custos do empreendimento.

Build to Suit para a locação permite ao usuário criar e personalizar um novo mecanismo para atender às suas necessidades específicas em um cronograma acelerado, sem as despesas de capital a ser investido no empreendimento.

Em uma operação do tipo Build to Suit, a empresa locatária será uma parceira e realizará um trabalho em conjunto, para projetar uma instalação personalizada.
Como resultado, a empresa locatária poderá direcionar o seu capital para outros fins, evitando a desmobilização financeira, reforçando simultaneamente o seu balanço.
O resultado final é uma instalação nova, personalizada com uma despesa muito baixa de capital por parte da locatária. Um Build-to-Suit para locação permite às empresas ocuparem novos centros de operações com rapidez e eficiência.

O sistema Build to Suit também permite à empresa manter seu foco no crescimento, sem desviar a atenção de suas operações, no compromisso do tempo, fuga de capital e outras atividades.

Segmentos Build to Suit:

  • • Hipermercados
  • • Edifícios de Escritórios
  • • Grandes estabelecimentos Fast Food
  • • Armazéns de Distribuição
  • • Instalações Industriais
  • • Lojas de Varejo
  • • Universidades
  • • Hospitais

 

Expansão de redes de varejo

Devido ao grande crescimento do mercado imobiliário os terrenos estão em falta, o que tem gerado uma frustração para muitos varejistas ..

“Hoje as redes varejistas têm dinheiro para fazer investimentos, o mercado de consumo está pujante, mas os projetos de crescimento não podem ser plenamente executados pela escassez de fatores de produção” segundo o presidente da Coop Cooperativa de Consumo, Antonio José Monte”.

A Eco3 conta com uma equipe que trabalha a todo vapor para prestar os melhores serviços aos nossos clientes.

Nosso escopo de trabalho inclui desde a identificação da demanda do cliente, levantamento da oportunidade, verificação da documentação, negociação, até o fechamento.

Serviços
  • • Identificação de áreas para expansão
  • • Análise de pontos comerciais que reúnam as condições mais adequadas à expansão, visando a contribuir na estruturação das novas lojas
  • • Representação da rede na negociação
  • • Estudos de realocações e ampliações

 

Operações de CRI

Certificados de Recebíveis Imobiliários – ou simplesmente CRIs – são títulos lastreados em créditos imobiliários e garantidos por imóveis, apresentando promessa de pagamento em dinheiro. Sendo assim, ao adquirir um CRI, o investidor está adquirindo, na verdade, o fluxo de recebimento de crédito concedido para a efetivação do empreendimento imobiliário. Seus termos e condições (taxas, prazos e amortizações), porém, são variáveis conforme cada emissão específica.

Os CRIs são emitidos exclusivamente pelas companhias securitizadoras, que transformam em títulos (CRIs) os créditos (recebíveis) imobiliários descontados por originadores, os incorporadores imobiliários, instituições financeiras, imobiliárias e etc. Este, portanto, é um processo de securitização, ou seja, um fluxo de recursos é transformado em um instrumento negociável de renda fixa.